Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mais Mulheres Por Favor

30
Jun18

[TAG] | 50% - Balanço do primeiro semestre de leituras

49C309FE-3B7D-43A3-AD56-990170D728C6.jpeg

 

A Cláudia marcou-me para responder à TAG 50%, que é uma óptima forma de fazer uma retrospectiva do primeiro semestre literário, agora que estamos quase, quase a meio do ano. Sintam-se livres para responder também.

 

1. O melhor livro que você leu até agora.

Meio Sol Amarelo (Chimamanda Ngozi Adichie) e Ulisses (James Joyce). Ainda não consegui arranjar tempo para escrever sobre o primeiro aqui, mas de Julho não passa, e sobre o segundo acho que dificilmente conseguirei escrever um texto decente porque, sejamos honestos, metade do livro não se percebe e a outra metade também não (trata-se obviamente de um exagero, mas não é exagero dizer que andamos aos papéis do início ao fim, tendo pequenos vislumbres de uma obra colossalmente complexa), não vale a pena fazer resumos nem dizer-vos que o devem ler, porque já estão fartinhos de o saber. Foi uma experiência maravilhosa enquanto leitora e basta que saibam isso, ah, e para os chatinhos que acham que arrumei com os livros de autores de vez: upssss.

 

2. A melhor continuação que você leu até agora, em 2018.

Não li nenhuma continuação este ano e não estou a prever que vá ler alguma, mas adorava reler a tetralogia da Ferrante.

 

3. Algum lançamento do primeiro semestre que você ainda não leu, mas quer muito.

Vários. Pequenos Fogos em Todo o Lado (Celeste Ng), O Quarto de Marte (Rachel Kushner), mulheres & poder: um manifesto (Mary Beard) e o primeiro volume da reedição das Obras Completas de Maria Judite de Carvalho.

 

4. O livro mais aguardado do segundo semestre.

Não faço ideia do que vai ser publicado até ao final do ano e, sinceramente, para bem da minha carteira, prefiro não ver (para já).

 

5. O livro que mais te decepcionou esse ano.

O Ministério da Felicidade Absoluta, estava à espera de adorar este livro, o que não aconteceu, apesar de lhe reconhecer a qualidade.

 

6. O livro que mais te surpreendeu esse ano.

Para além dos favoritos, rendi-me a O Livro de Emma Reyes, uma história marcante que nunca mais irei esquecer.

 

7. Novo autor favorito (que lançou seu primeiro livro nesse semestre, ou que você conheceu recentemente).

María Gainza, devido ao seu O Nervo Ótico, tão bom.

 

8. A sua quedinha por personagem fictício mais recente.

Tenho uma quedinha pela Adília Lopes, conta?

 

9. Seu personagem favorito mais recente.

Emerence, de A Porta, uma das personagens mais caricatas, complexas e bem construídas que já tive o prazer de encontrar.

 

10. Um livro que te fez chorar nesse primeiro semestre.

É muito raro isso acontecer, mas O Castelo de Vidro deixou-me emocionada em certas partes.

 

11. Um livro que te deixou feliz nesse primeiro semestre.

Histórias de Adormecer para Raparigas Rebeldes, de Elena Favilli e Francesca Cavallo. Impossível não sentir um misto de orgulho e felicidade ao descobrir cada uma destas histórias.

 

12. Melhor adaptação cinematográfica de um livro que você assistiu até agora, em 2018.

Gostei muito da adaptação d'O Castelo de Vidro que vi apenas este ano, depois de ter lido o livro.

 

13. Sua resenha favorita desse primeiro semestre (escrita ou em vídeo).

Adorei a opinião da Bárbara sobre Cartas Amorosas de uma Religiosa Portuguesa (ou Cartas Portuguesas) de Mariana Alcoforado e que preciso de ler urgentemente.

 

14. O livro mais bonito que você comprou ou ganhou esse ano.

Adoro o Todos os Contos da Clarice Lispector e a Obra Poética da Sophia de Mello Breyner Andresen, comprados na Feira.

 

15. Quais livros você precisa ou quer muito ler até o final do ano?

É díficil escolher porque comprei muita coisa que sinto que vou adorar, ainda tenho vários na estante que me fazem bater o coração mais depressa e tenho três novidades a caminho da estante. Mas vou adiantar alguns, Pequenos Fogos em Todo o Lado (Celeste Ng), mulheres & poder: um manifesto (Mary Beard), Rumo ao Farol (Virginia Woolf) e, uma releitura, A Campânula de Vidro (Sylvia Plath).

 

14 comentários

Comentar post