Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mais Mulheres Por Favor

dia-da-mulher-billboard
11
Jan19

[MÚSICA] | Lucy Dacus

AfterlightImage-11.JPG

 

Lucy Dacus foi a minha obsessão musical de 2018, prolongada até ao momento em que escrevo este post (e mais além), apesar de só ter começado a ouvir a sua música nos últimos dias de Dezembro. As melhores descobertas são assim: imediatas, irremediáveis e obsessivas. Historian, o seu segundo álbum a solo, ocupou o terceiro lugar do meu TOP10 de discos de 2018, e, como disse no post, só não ficou em primeiro lugar porque andei o ano todo com a cabeça na Lua e a querida Lucy passou-me ao lado.
 
Adoro a voz, a musicalidade, o ritmo e as letras das músicas (ainda não consegui explorar todas literariamente, mas hei-de lá chegar). Ouvi Historian em modo repeat durante várias semanas a fio. No trabalho, a ler, ou, simplesmente, sentada na poltrona em frente ao gira-discos. Há poucos dias, decidi que estava na altura de dedicar-me ao primeiro álbum, No Burden (2016), e, como já calculava, apaixonei-me à primeira música, I don't Wanna Be Funny Anymore. Avisei imediatamente a pessoa responsável por encomendar discos lá em casa para acrescentar este à wishlist.
 
Por ter gostado tanto da música de Lucy Dacus, fui pesquisar um pouco sobre a sua vida. Descobri que esteve no Vodafone Paredes de Coura do ano passado e que, por essa ocasião, foi entrevistada pela Blitz, havendo também um artigo muito interessante sobre a cantora e compositora, publicado em Abril do mesmo ano. Lucy nasceu em Maio de 1995, foi criada numa zona rural do estado da Virginia, e "gravou No Burden em meras 20 horas, como projeto de escola do seu guitarrista, Jacob Blizard". I Don’t Wanna Be Funny Anymore, a par de outras músicas do seu primeiro álbum, chamou a atenção de várias editoras, nomeadamente, da Matador, uma das editoras indie mais conceituadas (que acabou por ser a escolhida de Lucy Dacus). Relativamente à entrevista que deu, gostava muito de partilhar convosco um excerto que me fez adorar ainda mais Lucy Dacus. 
 
É uma grande leitora?
Sim, leio muito. O facto de viajar muito de carrinha faz com que tenha muitas horas livres para ler, o que é espetacular. E toda a gente na minha banda adora ler, então vamos lendo os mesmos livros. Temos uma biblioteca rotativa na carrinha. Neste momento temos uns 30 e tal livros a bordo, o que é bastante. Isso faz-me feliz.
 
Qual o último livro que adorou ler?
“Her Body and Other Parties”, um livro de contos de Carmen Maria Machado. É muito surreal e muito estranho, mas muito bonito, por vezes negro… não quero revelar demasiado, mas recomendo a sua leitura. A autora vive em Filadélfia, não tenho a certeza de onde é originária. [Carmen Maria Machado tem ascendência cubana]
 
Portanto, a Lucy canta, toca e compõe maravilhosamente bem, lê muito, tem uma biblioteca rotativa na carrinha da banda e recomenda a leitura de O Corpo Dela e Outras Partes, de Carmen Maria Machado (que ainda não li, mas que ando a namorar há muito). Como resistir-lhe? 
 
Se ainda não estão convencidos, vou dar uma de chata e deixar-vos os links directos para os seus dois álbuns, no Spotify, e para algumas músicas, no YouTube. Mas é para ouvir, ok? A Lucy Dacus merece que a ouçam e eu mereço que me dêem ouvidos.
 
Álbuns
No Burden (2016)
Historian (2018)
 
Músicas
Strange Torpedo (No Burden
Addictions (Historian)
Timefighter (Historian)
 
WOOK - www.wook.pt