Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mais Mulheres Por Favor

24
Out17

[EVENTOS] | Género na Arte de Países Lusófonos: Corpo, Sexualidade, Identidade, Resistência

genero.png

Infelizmente, o período de inscrições para este evento terminou no final de Setembro, mas achei relevante fazer referência ao evento aqui no blog.

 

A conferência internacional Género na Arte de Países Lusófonos: Corpo, Sexualidade, Identidade, Resistência tem lugar na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa nos dias 27 e 28 de Outubro.

Esta conferência pretende reunir pessoas de diferentes países das lusofonias,  vindas da academia, do activismo e de outras áreas, para reflectirem e dialogarem, de um modo crítico, transdisciplinar e sistémico, sobre a questão do género no foro da arte e da cultura contemporâneas. 

 

O programa desta conferência é muito completo e conta com a contribuição de académicos, artistas, curadores, activistas, entre outras pessoas com interesse nesta temática. Deixo alguns dos temas das sessões e dos painéis temáticos que mais me cativaram: Género na arte: dos museus à academia (Aida Rechena e Teresa Furtado), Lute como uma mulher! Arte e Feminismo na América Latina (Cristiana Tejo), A margem rosada: temáticas do RAP feminino brasileiro e português (Amanda Padilha Pieta) e História das mulheres e de género em Portugal: horizontes temáticos e desafios atuais (Irene Vaquinhas).

 

23
Out17

[EVENTOS] | As Happy As Sad Can Be

149E2F7E-D2B0-4FD3-A5D0-39389142A80D.JPG

 

Assim que dei de caras com o trabalho da Wasted Rita (Rita Gomes) nas redes sociais comecei a segui-la de imediato. Adoro tudo o que caracteriza a sua arte: a simplicidade, as temáticas que explora, a criatividade desarmante à qual é impossível ficar indiferente; e foi com grande entusiasmo que soube que haveria uma exposição individual sua na Underdogs Gallery, em Lisboa.

 

As Happy As Sad Can Be é uma exposição sobre encarar e abraçar a tristeza de uma forma divertida; sobre brincar com a falsa felicidade enquanto se é fundamentalmente triste que todos deveriam ir conhecer. É grátis, por isso não há desculpas para não passarem por lá até 18 de Novembro.

 

AAB93A30-D13D-4EB0-94D8-0A1C4922FF5E.JPG 

 

A exposição compreende um conjunto de instalações diversas, cada qual materializando um espaço pessoal que explora um tema relevante para a artista - seja ele o sabor energizante do Verão ou a sofisticação misantrópica da internet, os apetrechos materiais de uma languidez onírica e prazeres que suscitam culpa, ou as forças e fraquezas da condição feminina num mundo que, com demasiada frequência, e indevidamente, é representado como sendo o domínio do homem.

146178A6-7061-4633-8825-917728FD7A4F.JPG

 

13
Out17

[EVENTOS] | Mulheres nas Artes: Percursos de Desobediência

IMG-1493.JPG

 

Nos dias 16 e 17 de Outubro decorre o Mulheres nas Artes: Percursos de Desobediência, um encontro internacional na Fundação Calouste Gulbenkian para debater a afirmação das mulheres na literatura, na música, no cinema, nas artes visuais e nas artes de palco. Cereja no topo do bolo? É grátis!

“Qualquer forma de criação nasce da desobediência, isto é, da capacidade de questionar o que existe”, dizem Inês Pedrosa e Patrícia Reis, comissárias de Mulheres nas Artes: Percursos de Desobediência. Na apresentação deste encontro, relembram também que “a metade feminina da humanidade esteve aparentemente confinada ao silêncio e à obediência até há pouco mais de cem anos”, evocando Clarice Lispector e Virginia Woolf como símbolos de uma contracultura de resistência.

 

Ao longo destes dois dias há palestras, debates, conversas de vida e o lançamento do livro Eu Matei Xerazade - Confissões de Uma Mulher Árabe em Fúria, de Joumana Haddad, escritora e jornalista libanesa, que lançou no Líbano, em 2009, a revista Jasad (corpo em árabe), que conta com artigos, fotos, arte e ilustrações que falam sobre o culto ao corpo, erotismo e sexo. Irá também haver a antestreia do filme A Festa, de Sally Potter, entre outros eventos. A perfeição na Terra, portanto. Podem consultar o programa aqui.

 

Infelizmente, não terei disponibilidade para estar neste evento, mas tenho esperança que haja alguém desse lado que o possa fazer por mim. Vão e contem-me tudo.

 

12
Out17

[EVENTOS] | DOCLISBOA'17

O Festival Internacional de Cinema Doclisboa deste ano decorre entre os dias 19 e 29 de Outubro em diversos espaços como a Culturgest, o Cinema São Jorge, o Cinema Ideal, e conta com 231 filmes, de 44 países. Esta é a 15ª edição do festival dedicado ao documentário com uma missão fantástica que podemos encontrar no site.

O Doclisboa pretende questionar o presente do cinema, em diálogo com o seu passado e assumindo o cinema como um modo de liberdade. Recusando a categorização da prática fílmica, procuram-se as novas problemáticas presentes na imagem cinematográfica, nas suas múltiplas formas de implicação no contemporâneo. O Doclisboa tenta ser um lugar de imaginação da realidade através de novos modos de percepção, reflexão, novas formas possíveis de acção.

 

Um dos documentários que me chamou a atenção, e que conto assistir, foi Quem é Bárbara Virgínia? da realizadora Luísa Sequeira. Bárbara Virgínia é o nome artístico de Maria de Lourdes Dias Costa, cineasta, actriz e locutora de rádio, nascida em Lisboa, a 15 de Novembro de 1923, e que foi a primeira mulher em Portugal a realizar um filme, na década de 40.

 

barbaravirginia.jpg

 

Bárbara Virgínia tinha apenas 22 anos quando, em Agosto de 1946, o seu filme Três dias sem Deus se estreou nas salas de cinema portuguesas. Como se isto não fosse suficientemente espectacular, Três dias sem Deus foi o primeiro filme português a ser nomeado para o Festival Internacional de Cinema de Cannes (a par de Camões, de Leitão de Barros), precisamente na primeira edição deste festival, que ocorreu entre Setembro e Outubro de 1946.

 

Quem é Bárbara Virgínia? passa nos dias 25 de Outubro (18.45) no Cinema São Jorge e 29 de Outubro (14.00) na Culturgest, em conjunto com Três Dias sem DeusAldeia dos Rapazes, sobre uma instituição de acolhimento infantil. Bilhetes aqui (4€).